O universo dos vinhos é bastante vasto, e as pessoas que permitem aventurar-se por ele descobrem uma gama imensa de sensações. São texturas, aromas, sabores, cores e combinações inusitadas, que não cansam de surpreender nossos sentidos.

Engana-se quem pensa que os vinhos são apenas tintos ou brancos. De delicados espumantes a saborosos vinhos licorosos, ao longo dos séculos os produtores foram criando e aperfeiçoando novos estilos de fermentados, aumentando os horizontes da enologia e encontrando novas e criativas formas de agradar a diferentes paladares.

A bebida no mundo tem o poder de trazer com ela tantas informações, ressaltar rituais e enigmas, como o vinho. No entanto, podemos apenas saboreá-lo.  O vinho além do prazer contido na taça, se apresenta com total flexibilidade,  podemos apreciá-lo com seus mistérios ou apenas fazer a escolha de um vinho, de acordo com o nosso gosto pessoal e bebê-lo simplesmente, afinal é isto que ele é: Uma bebida.

Alguns que se dedicam ao estudo do vinho irão mais  fundo em sua história, técnicas de elaboração, diferenças em cada país de origem e análise sensorial em taça. Outros curtirão esta bebida que de tão complexa tem o poder de se apresentar nas mais diversas formas, estilos, sabores, aromas e nuances.

De vinhos potentes e estruturados, até vinhos doces delicados e envolventes, há  uma infinidade de resultados assinalados pelas  inúmeras uvas espalhadas pelo mundo. 

Só pra exemplificar, na Itália e em Portugal, existe um assombroso número de cerca de 300 variedades de uvas autóctones (nativas),  em cada um dos dois países. Temos uma Itália muito além da uva Sangiovese do famoso “Chianti”, na Toscana e um Portugal vasto muito além da uva branca Alvarinho e da tinta Touriga Nacional, uma das uvas do mundialmente conhecido “Vinho do Porto”.

A clássica disputa pelo título de país que mais tem uvas autóctones faz com que os resultados se alterem a cada dia, eu os aproximei nas 300 castas.

Ampliem isto para o mundo todo e somem a esta informação, um item muito importante,  uma somatória de vários fatores, uma diversidade incontável de combinações, de condições climáticas, associadas a tipos de solos, a situação geográfica, a atuação humana e de outros elementos, que determinam um conceito batizado na França, com o famoso nome, no mundo do vinho,  de “Terroir”. Feito isto, vocês terão mais claro, o que o mundo do vinho tem a oferecer, aos seus apaixonados e curiosos amantes e como os vinhos podem ser um oceano, de  diferentes sabores e aromas, de acordo com a combinação dos fatores que compõem o chamado  “Terroir”.

Este tema do terroir é algo básico na compreensão deste universo, por isto escolho no meu primeiro tema da coluna,  falar desta palavrinha francesa, que aparecerá em muitos textos,  “Terroir” que carrega um dos conceitos mais importantes deste universo,  a base da compreensão de um vinho.